//Iraque: Natal com esperança

Iraque: Natal com esperança

2017-01-18T13:00:29+00:00 Janeiro 2nd, 2017|Notícias|

Este ano, os refugiados cristãos na parte norte do Iraque estão animados duplamente para celebrar o nascimento de Cristo. Isto porque a grande maioria das vilas das planícies de Nínive, que foram ocupadas pelo grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) desde o verão de 2014, foram liberadas agora. Na época, 120 mil pessoas fugiram da ameaça jihadista que avançava, deixando apressadamente suas casas. “Quando recebemos a notícia de que o EI estava recuando, espontaneamente uma festa estourou nos campos de refugiados. As pessoas saíram às ruas para dançar e cantar, como se não tivessem outros problemas em suas vidas “, disse o padre Luis Montes, vigário episcopal do bispo latino do Curdistão. Ele vive no Iraque desde 2010.

Em entrevista à ACN (Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre), o sacerdote argentino do Instituto do Verbo Encarnado explicou que, apesar desta alegria inicial, é preciso que difíceis medidas sejam tomadas antes que os refugiados possam voltar para suas casas . “Aproximadamente 60% das casas nas planícies de Nínive foram incendiadas. Os terroristas não só tomaram todos os seus pertences, mas encheram a região com minas terrestres “. Eles até “colocaram bombas em brinquedos infantis” para que eles explodissem quando as pessoas retornassem. “É verdade que algumas pessoas puderam voltar para suas casas. No entanto, eles só foram capazes de mostrar que eles ainda existem. Porque é impossível viver ali”, disse o padre Montes, sobriamente. “A região precisa primeiro ser limpa de todas as minas. Somente então as aldeias poderão ser restauradas, e isso de baixo para cima. Tudo ainda precisa ser feito, as pessoas ainda não têm nada”.

Enquanto isso, os refugiados estão vivendo em Erbil, a capital do Curdistão iraquiano semi-autônomo, o que é praticamente um estado imaginário. A maioria dos cristãos do país está vivendo lá no momento. “Eles não perderam a esperança de poder retornar para suas casas. Eles imaginam-se vivendo novamente em seus lares, recebendo amigos e parentes lá. Porque a hospitalidade é muito importante para eles. Apesar de tudo, os iraquianos não perderam nem o sorriso nem a esperança “. O Pe. Luis Montes descreveu-os como um modelo de força de vontade. Eles sustentaram todos esses horríveis anos “não apenas em paz, mas também com alegria”. “É fácil ser um pastor aqui porque eles realmente vivem o que dizem. Falar sobre o perdão com eles é fácil porque eles perdoam sem rancor. São eles que nos dão força”.

Natal com cobertores e chocolate

O feriado de Natal é celebrado muito intensamente na parte norte do Iraque. As casas e ruas são decoradas com luzes e árvores de natal. Uma atmosfera muito especial se mantém. Durante o Advento, os fiéis se preparam para a chegada do Senhor se confessando. Um destaque das celebrações são as várias missas que são realizadas durante estes dias. Opadre argentino descreve como o chocolate é distribuído nos campos de refugiados após a Santa Missa como um sinal de alegria e fraternidade. Se uma instituição de caridade doa presentes, eles também são distribuídos. “Acho muito impressionante olhar para os rostos das crianças quando veem os presentes. Não só por causa dos objetos ou por causa delas, mas porque pessoas de muito longe estavam pensando nelas”.

Por esses dias, a temperatura média é de menos três graus Celsius. Um grande contraste com os 50 graus sufocantes que o país experimenta no verão. A solução é “cobertores e mais cobertores”, porque as paredes das habitações pré-fabricadas nos campos de refugiados são muito finas. “Porque elas tiveram que ser construídas muito rapidamente para acomodar as grandes massas de pessoas, muitas dessas habitações têm defeitos de construção. Estes estão sendo gradualmente reparados. Em outros casos, as famílias vivem em apartamentos compartilhados com outras famílias, que foram alugados pela diocese de Erbil”.

“Eles sabem que os cristãos de outros países os mantiveram vivos”

Desde 2011, a ACN vem apoiando vários projetos em todo o país, como a construção de escolas, o aluguel de apartamentos para famílias de refugiados, ajuda existencial para sacerdotes, a distribuição de presentes de Natal ou o pagamento dos custos de manutenção para vários campos de refugiados cristãos. Pe. Luis Montes expressou quão profundamente ele aprecia o trabalho da fundação. Afirmou que os refugiados “sabem que os cristãos de outros países os mantiveram vivos. Eles sempre rezam por seus benfeitores “. No entanto, o sacerdote do Instituto do Verbo Encarnado pediu que a comunidade internacional não esqueça o Iraque uma vez que o EI tenha sido derrotado. “Este país precisa ser reconstruído a partir do zero. As pessoas perderam tudo”.

One Comment

  1. Josué 3 de Janeiro de 2017 at 06:58 - Reply

    Bom dia!
    GostrGostaria de ajudar AIS e receber as revistas.
    Rua São Paulo 05
    Bairro Santa Maria
    Cidade Passo Fundo
    Estado RS
    CEP 99070 310

Leave A Comment