//Iraque: cristãos fogem de Mossul depois do ataque

Iraque: cristãos fogem de Mossul depois do ataque

2017-06-09T14:07:43+00:00 junho 13th, 2014|Notícias|

Arcebispo caldeu declara à ACN – Ajuda à Igreja que Sofre: “Nunca vimos nada como isto: uma grande cidade refém do caos por causa dos grupos que a tem atacado”.

A cidade iraquiana de Mossul se encontra em situação dramática desde o recente ataque apoiado provavelmente pelo grupo autodenominado Estado Islâmico (EI). O arcebispo caldeu dom Amel Shimon Nona manifestou à ACN a sua preocupação com a situação: “Não sabemos ainda de que grupo se trata. Alguns falam do EI, outros que são elementos de várias facções. Temos que esperar para ter uma compreensão melhor da situação real. O que é verdade é que são extremistas, muitos jáos viram patrulhando as ruas”.

Há notícias que indicam que o EI atacou quatro igrejas e um mosteiro. “Recebemos ameaças porque agora todos os fiéis fugiram da cidade. Eu me pergunto se algum dia vamos conseguir voltar para lá”, prossegue o arcebispo.

O arcebispo explica que os enfrentamentos começaram na quinta-feira, 5 de junho, mas se limitaram inicialmente a certas áreas da parte ocidental da cidade. “Mais da metade dos habitantes e toda a comunidade cristã fugiram imediatamente para a planície vizinha de Nínive. Até as 5 da manhã desta terça-feira estivemos recebendo famílias em fuga e tentando encontrar alojamento para elas nas escolas, nas salas de catequese, em casas abandonadas”. O prelado está agora em Talkif, povoado a três quilômetros ao norte de Mossul.

Em 2003, a comunidade cristã de Mossul tinha 35.000 fiéis. Nos onze anos seguintes ao começo da guerra, o número caiu tragicamente para cerca de 3.000. “Agora, é provável que não tenha sobrado ninguém”, declara dom Nona.

“Continuamos orando para que o nosso país possa finalmente encontrar a paz (…) Não é fácil depois de tantos anos de sofrimento, mas nós, cristãos iraquianos, estamos firmes em nossa fé e temos que manter a esperança, mesmo na perseguição. É um grande desafio, especialmente depois do que aconteceu nestes dias”.

Leave A Comment