Este ano, a Fundação Pontifícia ACN celebra o 40º aniversário da Bíblia da Criança – o livro Deus Fala a Seus Filhos

Desde seu lançamento, mais de 51 milhões de exemplares foram distribuídos em todo o mundo em 189 línguas. “Está além da compreensão humana a quantidade de crianças e adultos que se abriram a Deus por meio da Bíblia da Criança”, explicou Thomas Heine-Geldern – presidente executivo da ACN – quando perguntado sobre o aniversário. Pontuou ainda que, para muitas famílias que vivem nas regiões mais pobres do mundo, a Bíblia da Criança é o único livro disponível.

A Bíblia da Criança sacia a sede de Deus

“Nas cartas que recebemos nos últimos 40 anos, crianças, famílias, bispos e agentes pastorais expressaram seus agradecimentos pela Bíblia da Criança; testemunham assim, o profundo anseio por Deus que este livro continua saciando até hoje”, disse Heine-Geldern.

Dividido em 99 pequenos capítulos, o livro Deus Fala a Seus Filhos conta as passagens mais importantes do Antigo e Novo Testamentos; no entanto, de maneira fácil para as crianças entendam. As histórias da atual edição da Bíblia infantil foram escritas pela teóloga alemã Eleonore Beck (1926-2014); além disso, foram brilhantemente ilustradas pela religiosa espanhola Miren-Sorne Gomez (*1937). As ilustrações tornaram-se populares na instrução religiosa e na catequese.

O “pai” da Bíblia da Criança foi o Padre Werenfried van Straaten (1913-2003); fundador da ACN. Quando as Nações Unidas proclamaram 1979 como o “ano Internacional da criança”, tornou-se o ímpeto para a realização de uma ideia; a qual estava há muito tempo no coração do Padre Werenfried, que na época escreveu:

“As crianças precisam de algo como uma Bíblia infantil para que a imagem de Cristo se torne viva em seus corações. Muitas vezes a Igreja não tem os meios para proporcionar uma Bíblia infantil escrita na língua nativa. Em outras regiões a Igreja está sendo perseguida; portanto não é permitido publicar uma literatura desse tipo. Muitas crianças são tão pobres que não podem comprar um livro. Assim, gostaríamos de dar a eles a Bíblia como um presente”.

Uma grande demanda desde o início

O ACN apresentou a Bíblia da Criança na Conferência dos Bispos Latino-Americanos. Realizada no final de janeiro de 1979 em Puebla, no México, contou com a participação do Papa João Paulo II em sua primeira viagem ao exterior. A resposta foi imediata: os bispos encomendaram prontamente 1,2 milhões de exemplares em espanhol. Assim que missionários, bispos e catequistas de outros países souberam de sua existência, foram necessárias traduções adicionais.

Hoje, a Bíblia está disponível em 189 línguas; de Afar, que é falada por cerca de 1,5 milhão de pessoas na Etiópia, Eritréia e Djibuti, para Zulu; uma língua bantu falada no sul da África. Novas traduções são realizadas regularmente; afinal, mais de 2.000 línguas (dialetos distintos) são faladas apenas na África. Lá, a Bíblia da Criança continua desempenhando um papel importante na promoção da alfabetização ainda hoje. Uma das mais recentes traduções foi para o Macuxi; língua falada por muitos indígenas em Roraima.

Viagem pastoral ao Brasil do Papa Bento XVI

Viagem pastoral ao Brasil do Papa Bento XVI.

Desde o início, a Fundação Pontifícia ACN distribuiu gratuitamente a Bíblia da Criança nos países mais necessitados. As edições com a maior distribuição são a espanhola (com cerca de 14 milhões); seguida da portuguesa (com 10,3 milhões); a inglesa (com 2,5 milhões); a francesa (com 1,2 milhões); além da língua suaíli (com cerca de 950. 000 exemplares). Após o colapso da União Soviética, a edição russa da Bíblia da Criança foi mencionada por uma estação de rádio cristã. A ACN foi então “inundada” com meio milhão de pedidos em um curto espaço de tempo.

Também os papas reconheceram a importância da Bíblia da Criança. O Papa Bento XVI, por exemplo, entregou o exemplar número 10 milhões da Bíblia da Criança em português (versão brasileira) durante sua visita pastoral ao Brasil – em maio de 2007, quando esteve na Fazenda da Esperança, um outro projeto também apoiado pela ACN.