//Ajuda à Igreja que Sofre se encontra no coração da Igreja

Ajuda à Igreja que Sofre se encontra no coração da Igreja

2013-04-30T17:38:46+00:00abril 30th, 2013|Notícias|

A Ajuda à Igreja que Sofre não é só uma organização de ajuda humanitária; embora este trabalho seja importante, mas trata-se de uma autêntica obra da Igreja.

Em um discurso dirigido a alguns representantes da entidade católica internacional Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), o Cardeal Mauro Piacenza, Prefeito da Congregação para o Clero, sublinhou a diferença feita pelas iniciativas pastorais realizadas em nome da Igreja mundial. O Cardeal declarou: “Por sua própria natureza — e, por isso, também por seu caráter —, a AIS é realmente uma instituição eclesiástica. Portanto, ela não é só uma organização de ajuda humanitária; embora este trabalho seja importante, mas trata-se de uma autêntica obra da Igreja”. O purpurado assinalou, em relação à verdadeira missão da organização, que “acima de tudo, desejo recordar-lhes algo que estava muito perto do coração dos Papas anteriores e do atual Santo Padre, que tinham muita estima por esta associação que se define por seu caráter pastoral: o fato que entre as suas prioridades destaca-se “a formação dos formadores”.

A reunião com os diretores da sede central internacional da AIS e com os diretores dos 17 escritórios nacionais da entidade teve lugar no Vaticano, no dia 18 de abril. O Prefeito da Congregação para o Clero, que é ao mesmo tempo o presidente internacional da Ajuda à Igreja que Sofre, acrescentou: “Nossa caridade é a caridade que provém do coração do Senhor. A AIS deve encontrar-se sempre no próprio coração da Igreja, no centro das preocupações da Igreja”.

O Cardeal Mauro Piacenza descreveu as tarefas especiais dos trabalhos caritativos da AIS: “Quando esta surgiu, seu trabalho estava dirigido à ajuda de emergência para a Igreja em uma parte do mundo marcada pela ideologia comunista. Hoje em dia existem novos desafios que necessitam ser enfrentados, principalmente onde a Igreja está oprimida pelas ideologias, e em circunstâncias, que inibem os fiéis ou que tornam impossível a prática livre da fé e o desenvolvimento da missão da Igreja. A Igreja também é perseguida em outros e mais sutis níveis: no denegrir de seus ensinamentos, na falta de respeito à dignidade da vida humana desde sua concepção até a morte natural, e à lei natural; assim como através da propagação do secularismo na educação. Nestas circunstâncias, a Igreja deve responder de uma maneira que corresponda à sua própria natureza: pacificamente, com tenacidade e com valentia; do contrário, não mostraríamos autenticamente que somos a Igreja de Cristo”.

Ao final do seu breve discurso, o Cardeal destacou: “Os benfeitores da Ajuda à Igreja que Sofre têm uma fé tão forte que não podem mais que expressá-la em atos”.

Em 2011, o Papa Bento XVI elevou a AIS ao status de Fundação Pontifícia. A sede oficial da fundação é o Vaticano. A sede internacional (operacional) continua em Königstein (Alemanha). Além destes, existem 17 escritórios em todo o mundo.

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!