//ACN ajuda na permanência de cristãos no Iraque

ACN ajuda na permanência de cristãos no Iraque

2018-07-24T16:22:07+00:00julho 24th, 2018|Notícias|

“Eu quero que meu filho cresça no Iraque”, diz Samir. Graças à ACN, pais cristãos encontram um lar para poderem criar seus filhos.

Para alguns cristãos no Iraque, o futuro começou há apenas algumas semanas. O pequeno Timotheus nasceu em meados de maio. “Eu desejo de fato que meu filho possa crescer no Iraque. Deus encontrará um caminho”, anseia seu pai, Samir. Ele e sua esposa Siba são pais orgulhosos – e cristãos devotos. O bebê deles será batizado em breve. Os jovens – Samir tem 30 anos e Siba 25 – moram em Bartella, uma cidade cristã na Planície de Nínive, perto de Mosul. A maioria de seus habitantes são ortodoxos sírios.

Timotheus está em silêncio nos braços de sua mãe. Entretanto, seus pais lhe dirão mais tarde sobre os tempos difíceis pelos quais a família passou nos anos que antecederam seu nascimento. O grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) chegou em Bartella em agosto de 2014. Na ocasião, todos os cristãos que viviam ali fugiram em pânico dos extremistas islâmicos. Suas igrejas e casas foram destruídas, danificadas e quase todas foram saqueadas.

Reconstruindo Nínive

A ACN, por sua vez, está se empenhando para que os cristãos retornem aos lugares que chamam de lar. Desse modo, foi iniciado um grande projeto para restaurar as casas que o EI tornou inabitáveis. O processo de reconstrução possibilitou que mais de 45% das famílias deslocadas em 2014 voltassem para suas casas, um total de mais de 8700 famílias em junho de 2018.

A casa em que Timotheus passou o primeiro ano de sua vida não é propriedade de sua família. “A casa não nos pertence. O proprietário mora na Suécia. No entanto, graças à ACN, estamos vivendo aqui durante um ano gratuitamente”, explica Samir – o que tem sido de grande ajuda para a jovem família. “Que Deus abençoe os benfeitores e os apoie em todas as etapas de suas vidas. Eles vivem das palavras de Jesus: eu estava desabrigado e vocês me acolheram”.

Isso só é possível porque o Comitê de Reconstrução de Nínive (NRC), iniciativa da ACN, estipulou que a assistência para a reforma das casas destruídas ou danificadas pelo EI só será concedida se os proprietários que não moram em suas próprias casas permitissem que uma família necessitada viva nela por um ano gratuitamente. Samir e sua família são beneficiários desse requisito. No entanto, em novembro, se cumprirá um ano desde que os pais de Timotheus retornaram para Bartella; a partir de então, eles terão que começar a pagar o aluguel.

Samir olha para o futuro com otimismo. “Eu vivo um dia por vez, assim como Jesus nos ensinou. Que Deus nos dê o pão nosso de cada dia”. O pai de família ganha o pão diário como professor de inglês. “Eu preparo os estudantes para a universidade”. Ele dá aula principalmente para crianças shabak, um grupo étnico que segue o islamismo xiita.

Luta para permanecer

Os muçulmanos são uma parte crescente da população de Bartella, porque muitos cristãos estão vendendo suas terras para eles antes de partirem para outros países. Isso preocupa Samir. O pai de família também ganhava a vida como professor de inglês quando vivia no Curdistão iraquiano como refugiado. A maioria dos cristãos, por segurança, fugiu para lá. “Os anos como refugiado foram, assim, difíceis. Nós quase não tínhamos dinheiro. Não teríamos conseguido sem o apoio da Igreja”.

Apesar de tudo, deixar o Iraque nunca foi uma opção para Samir. “Sem dúvida: vivemos em um país instável. No entanto, ainda é nossa terra natal. Enquanto nada absolutamente terrível acontecer, eu quero permanecer aqui”. Sua esposa Siba concorda com ele: “Eu amo minha terra natal. O apoio do meu Senhor e de meu marido me dá forças para suportar todas as dificuldades”. Samir está feliz porque as coisas estão melhorando novamente na cidade. “A maioria das pessoas voltou às suas vidas normais. As coisas voltaram ao que costumavam ser”. De fato, o som das marteladas pode ser ouvido em toda a cidade, enquanto as pessoas reparam os danos deixados pelo EI.

Restaurando a fé

Padre Jacob nos mostra, então, a igreja que também tem sido reformada graças à ACN. As paredes estão em um branco radiante; o altar de madeira brilha em cores vibrantes; a pichação anticristã e o credo islâmico, que os terroristas do EI escreveram nas paredes, foram cobertos. Todavia, ainda há traços da ocupação terrorista na paróquia ortodoxa siríaca em Bartella. Apenas uma capela carbonizada foi deixada sem reparos como um sinal da ocupação pelo EI. “Deixamos a capela assim de propósito, como um lembrete das coisas terríveis que aconteceram conosco. No entanto, graças à ajuda de Deus e à generosidade dos benfeitores da ACN, voltamos”.

Desde a crise no Oriente Médio, em 2011, a ACN fornece ajuda para reconstruir igrejas, escolas, casas, bem como fornecer alimentos e ajuda para manter a esperança dos cristãos que passam por perseguições.

Leave A Comment