//A via nada espetacular de Sebastian Shah

A via nada espetacular de Sebastian Shah

2010-10-29T18:49:29+00:00 outubro 29th, 2010|Notícias|

Foi no sono que o Senhor o presenteou. O jovem Sebastian Shah tinha ido a Karachi para uma entrevista, vindo do seu povoado no sudeste do Paquistão. Sua família o tinha aconselhado de tentar uma vaga na Marinha do país. A mãe era viúva, a irmã estava com tuberculose, ela e dois irmãos menores precisavam de ajuda.

Desde a sua infância, Sebastian considerava a ideia de se tornar padre. A pequena casa da família ficava perto da igreja e ele ia de manhã e à noite até o Santíssimo para rezar, geralmente com os pais. Seu tio o aconselhou ser advogado. Seu pai dizia: Sim, advogado das almas. Depois, o pai morreu, quando Sebastian estava com doze anos. “A mãe tinha de trabalhar duro para nos criar e educar”.

Após a viagem até Karachi, ele entrou na catedral às oito horas da manhã. Ainda faltava meia hora para a entrevista. Ele sentou-se na última fileira, ao lado da imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, e começou a rezar o terço. E adormeceu. Acordou às nove, correu para a caserna… O portão estava fechado, a chance perdida. O tio esbravejou, a mãe sorriu e Sebastian pensou: “Deus quer que eu seja padre.” Mas que tipo de padre? Os padres da sua comunidade o mandaram falar com o cardeal, em Lahore. Na noite anterior ele teve um sonho: religiosos de hábito marrom estavam ao seu redor e o convidavam a cantar um hino de louvor a Deus. Depois eles se ajoelharam, Sebastian também. E quando ele acordou, tinha a certeza: “OK, Deus quer que eu me torne um franciscano.” E foi o que ele se tornou.

Essa é a história da vocação de Sebastian Shah. Totalmente sem nada de espetacular. Totalmente normal. Deus intervém. No dia a dia, no sono, no encontro com outras pessoas. Sebastian estava aberto para a vontade de Deus. Sempre ele continuava perguntando a Deus como as coisas deveriam continuar: quando sua irmã morreu, quando ele terminou seus estudos em Ciências Políticas e Econômicas, quando quis continuar em Manila seu doutorado em teologia sobre “Motivações Religiosas” mas sua Ordem precisou dele no Paquistão, porque dois padres tinham falecido. Ele rezava e Deus respondia. Tornou-se provincial dos franciscanos no Paquistão, reitor do seminário de Lahore e, no dia 25 de abril de 2009, aos 52 anos de idade, foi sagrado bispo auxiliar da maior diocese do país.

Deus guia os acontecimentos por caminhos completamente normais. Até mesmo num país em que o simples fato de ser cristão pode representar perigo de vida. Sebastian Shah é advogado das almas. Ele consola os remanescentes de cristãos assassinados, ele procura a reconciliação, ele ajuda os refugiados. “Deus nos dá sabedoria para convivermos com outras pessoas; tolerância é o melhor presente de Deus para compreender os outros.” Mas a premissa é que se compreenda a si mesmo e a própria fé. Dom Sebastian trabalha por essa compreensão. Com um catecismo muito simples: “Esta é a nossa fé.” A edição está esgotada, nós ajudamos o jovem bispo para uma nova edição e para outros projetos. “Nós não precisamos de grandes debates, nós precisamos do testemunho de uma fé vivida.” Quanto mais simples, tanto maior a sua credibilidade. Um testemunho desses dá esperança – justamente em áreas de crise como o Paquistão. Deus intervém e nós podemos ajudar.

Leave A Comment