//A morte de Camil

A morte de Camil

2013-03-27T17:40:35+00:00 Março 27th, 2013|Notícias|

“Jesus abandonado, completamente só na cruz, entre o céu e a terra, salvou a todos nós… Somente se partilharmos sinceramente o sofrimento de nossos irmãos necessitados, nos quais reconhecemos o Senhor, poderemos nos unir a Jesus abandonado.”
Padre Werenfried

A explosão de uma bomba em plena cidade de Damasco, na Síria, numa localidade onde não se verificavam combates, prova a própria insanidade deste conflito, como se o país tivesse se transformado numa gigantesca roleta russa.

Segundo informação prestada ontem, 26 de Março, pelo próprio Arcebispo de Damasco, Dom Samir Nassar, à Ajuda à Igreja que Sofre, Camil dava apoio na sacristia e, paralelamente, prestava colaboração no acolhimento e no ação social da paróquia.

 

“Somos uma comunidade de seis pessoas no Arcebispado Maronita de Damasco, Síria. Camil, o mais novo, tem 35 anos de idade, e esta se preparando para se tornar diácono permanente. Ele cuida da sacristia, é responsável pela recepção e ajuda no grande trabalho social nestes tempos dolorosos …

Nesta terça-feira 26 março de 2013, Camil supervisionava a distribuição de pão e comida para os pobres, como fazia toda terça-feira. Às 11:30, ele caminha em direção a casa de sua família, vazia e abandonada desde o inicio dos conflitos, quando é atingido por uma bomba que cai próximo e leva sua vida em um instante.

Seu corpo já dilacerado na calçada é mais tarde transportado para o necrotério público de Damasco, à espera de alguém para identificá-lo.

Já há algum tempo, as bombas caem em qualquer lugar e a qualquer momento. Um jogo de roleta russa que rouba a vida de vítimas inocentes. A morte de Camil foi muito lamentada… ele era muito próximo de todos, sempre disponível para escutar, sempre pronto para ajudar e a compartilhar do pouco que tinha com os mais necessitados.

Esta roleta russa paira sobre a cidade e leva suas vítimas ao acaso… varias por dia.

E se Camil tivesse feito outra escolha? De morrer durante a Semana Santa com o Crucificado. Servir e louvar sempre o Salvador ressuscitado e pedir a paz para seu país martirizado.”

 

Damasco 26 de marco de 2013.
+ Samir Nassar
Arcebispo maronita de Damasco

Leave A Comment