//Boletim Dezembro 2014

Boletim Dezembro 2014

2014-12-10T18:11:43+00:00dezembro 10th, 2014|Boletim|

“O tempo do Advento restitui-nos o horizonte da esperança, uma esperança que não desilude porque está fundada na Palavra de Deus. Uma esperança que não decepciona, simplesmente porque o Senhor nunca desilude! Ele é fiel!” Papa Francisco, Praça de São Pedro, Ângelus do 1º domingo do Advento de 2013

Este é apenas o editorial do Boletim de Dezembro de 2014.
Você pode baixar o boletim na íntegra ao final deste texto (anexo).

 

“Vinde, Senhor Jesus, salvai-nos e não tardeis!” – É com estas ou outras palavras semelhantes que nós rezamos na Liturgia do Advento. Essas orações prementes têm pouco a ver com a fascinação gerada pelo comércio natalino. São súplicas orantes, que correspondem muito bem com a assustadora situação do mundo. O tempo do Advento não deixa espaço para ilusões: ao contrário, indica uma profunda realidade: Deus, que vem ao mundo. Será que acreditamos nisso, ou essa fé adormeceu em nós? O Advento quer despertar o nosso coração, para que ele volte a procurar Deus e a verdade do homem.

A crise mundial, que se delineia em toda a sua crueldade justamente no “berço da civilização”, como se costuma chamar o Iraque, mostra-nos como é atual e imprescindível o nosso caminho rumo à manjedoura de Belém. É como um sinal profético o fato de que o Iraque, região em que deve ter-se situado o “Jardim do Éden”, tenha se tornado palco de uma guerra ameaçadora para o mundo inteiro. Foi nesse país que também ocorreu a construção da Torre de Babel. Hoje, o homem se levanta novamente acima de Deus e quer apagar da memória Deus e sua lei. Mas o Iraque bíblico é também uma terra das promessas. Aqui, na cidade de Ur, nasceu Abraão, o pai da fé. Em Nínive, a atual Mosul, a pregação do profeta Jonas provocou a conversão impressionante de uma cidade inteira. Na Babilônia, perto da capital Bagdá, vivia o profeta Daniel que, na sua grande visão, contemplou a vinda do Filho do Homem. Portanto, foi aqui no Iraque que começou o Advento.

O Advento nos mostra Deus não como algo distante, que não desempenha nenhum papel significativo na vida “real”. Deus está perto, se fez homem, um de nós. Essa vinda de Deus significa uma reviravolta para o mundo. Obriga-nos a mudar completamente de mentalidade. Uma segunda indicação dada pela vinda de Deus – o Advento – passa pelo caminho da consciência. A consciência não é uma instância subjetiva que, independentemente da verdade, pode decidir o que é o bem e o mal. Ao contrário, é a capacidade de reconhecer a verdade e de segui-la. Sem essa capacidade de distinguir entre o bem e o mal, a convivência humana não é possível. Deus conduz ainda a uma terceira trilha do Advento, percorrendo o caminho da humildade e da pobreza. Deus se esvazia e desce em nossa escuridão e pecado. Um amor tão grande santifica e transforma qualquer sofrimento e faz da terra um lugar abençoado, um “Jardim do Éden” natalino.

Queridos amigos, vamos abrir-nos à chegada, ao Advento do Senhor, que veio para todos como Filho do Homem e deseja conduzir todos ao Pai.

Um abençoado Natal e um Feliz Ano Novo de 2015 deseja a vocês e às suas famílias, o seu

Pe. Martin Maria Barta
Assistente eclesiástico

 

Leave A Comment

A ACN está na Copa do Mundo. Ajude-nos a ganhar!