Cristina, a menina cristã iraquiana de três anos sequestrada em Qaraqosh quando a região foi tomada pelos terroristas, foi recentemente libertada e devolvida à família, quase três anos depois.

Segunda, 12 Junho 2017 13:49

"Marawi está toda arruinada"

Escrito por

Entrevista de Jonathan Luciano, diretor nacional da ACN Filipinas, com o Bispo de Marawi, Edwin dela Peña, sobre a situação na Prelazia de Marawi, no sul das Filipinas, onde o grupo terrorista Maute atacou a cidade, matando cristãos e incendiando edifícios, incluindo a catedral de Nossa Senhora Auxiliadora. Até a finalização desta publicação, sabe-se que 104 pessoas foram mortas e mais de 12.500 famílias foram deslocadas de suas casas. O Pe. Chito Suganob, Vigário Geral da prelazia, foi sequestrado junto com outros funcionários da Catedral. A Conferência Episcopal das Filipinas confirmou a autenticidade do vídeo que circula no Facebook sobre o Pe. Chito Suganob desde o dia 30 de maio.

Sexta, 09 Junho 2017 11:44

Cardeal Lubomyr Husar: "A morte não extinguiu sua voz"

Escrito por

O presidente executivo internacional da ACN - Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre, Barão Johannes Heereman, homenageou o Cardeal Lubomyr Husar, morto na quarta-feira (31 de maio) aos 84 anos , como um "verdadeiro homem de Deus" e um "líder da igreja com profunda sabedoria e circunspecção". O cardeal, que era o arcebispo maior da Igreja greco-católica da Ucrânia de 2001 a 2011, trabalhou em conjunto com a instituição de caridade ACN durante muitos anos e foi um amigo íntimo do padre Werenfried van Straaten, fundador da ACN.

Quinta, 08 Junho 2017 11:02

A vida dos deslocados internos do Iraque

Escrito por

Dom Bashar Matti Warda, Arcebispo Caldeu de Erbil, Iraque, falou à ACN – Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre – sobre a situação atual das famílias cristãs em Erbil, expulsas de Mossul e da Planície de Nínive em 2014 pelo grupo autodenominado Estado Islâmico (EI). Esses cristãos dependem de ajuda enquanto esperam para retornar para suas aldeias de origem nos próximos meses.

Farida, muçulmana, dona de uma loja na cidade de Marawi, Filipinas, não teve outra escolha senão deixar os terroristas invadirem e saquearem sua loja no dia 24 de maio. Mas quando os homens armados encontraram 13 empregados amontoados em um canto da loja, Farida olhou os homens nos olhos e disse-lhes em Maranao: "Vocês terão que me matar primeiro antes de tocar neles".

Página 10 de 116