Terça, 16 Janeiro 2018 11:06

Papa visita o Chile: "Um mensageiro de paz"

Escrito por

O Chile que o Papa Francisco está visitando é muito diferente daquele que acolheu São João Paulo II há trinta anos, o primeiro Papa a visitar o país. De acordo com Javier Peralta, diretor executivo da comissão nacional que organiza a visita papal, Francisco prefere viajar a lugares que são, em parte, prejudicados por terríveis problemas. A agenda muito densa do Santo Padre inclui visitas a três cidades. A primeira parada é a capital Santiago, o lar de quase metade dos habitantes do Chile. Depois, ele viajará para Temuco na região da Araucanía, onde o chamado "conflito Mapuche" se enfurece. Este grupo étnico indígena está usando a violência para reivindicar seus direitos. A visita terminará em Iquique, na parte norte do país. Muitos migrantes vivem nesta região, o que representa um grande desafio para os chilenos.

A campanha de oração infantil internacional, "Rosário das Crianças – Um milãho de Crianças Rezando o Rosário", apoiada há vários anos pela Fundação Pontifícia ACN – Ajuda à Igreja que Sofre, teve impacto particular no país de Benim, no oeste África. A campanha retorna à ideia de São Padre Pio de Pietrelcina, que previu o grande potencial dos pequeninos quando disse: “Quando um milhão de crianças rezarem o rosário, o mundo mudará”. As crianças da Diocese de Natitingou mostraram a veracidade de suas palavras.

Quinta, 11 Janeiro 2018 17:37

RDC: "O mundo sabe o que está acontecendo, mas se cala"

Escrito por

No dia 31 de dezembro de 2017, uma manifestação organizada em protesto à liderança contínua de Joseph Kabila como presidente do país foi violentamente reprimida. O resultado foram 12 mortos e 120 prisões. A República Democrática do Congo, de fato, passa por uma grande crise desde dezembro de 2016. Abaixo, uma entrevista com o Padre Apollinaire Cibaka Cikongo, professor no Seminário de Cristo Rei em Malole, Kananga, na província de Kasai Central, no sul do país, sobre a situação no país.

Na segunda maior cidade do Iraque, Mossul, localizada no Norte do país, os sinos de Natal voltaram a tocar pela primeira vez em quatro anos. Durante os anos anteriores, esse som familiar já não era ouvido. Agora, pela primeira vez depois da guerra, os cristãos conseguiram celebrar uma Santa Missa no Natal na Igreja de Mar Boulus (São Paulo) no subúrbio de Mossul, de Al-Mundshen. Os cristãos, entretanto, já às vésperas das celebrações estavam com dificuldades para limpar a igreja. Foi então que um grupo de muçulmanos tomou a iniciativa de ajudá-los. Como sinal de reconciliação reergueram a Cruz da igreja, convidando todos os cristãos para celebrarem o Natal em Mossul.

O guardião da Basílica da Natividade em Belém fala à Fundação Pontifícia ACN – Ajuda à Igreja que Sofre: "Temos que ver o Menino Jesus em cada pessoa a quem ajudamos. Acima de tudo, no Tempo do Natal, precisamos prestar atenção especial naqueles que precisam ". "Se não vemos o Menino nos que estão sofrendo, então, que tipo de Natal é esse?"

Página 4 de 124