Dentro de apenas um mês, se espera que até 15 mil cristãos iraquianos deslocados retornem à cidade nas antigas planícies de Nínive, Iraque, que sofreram a pior violência perpetrada pelo grupo autointitulado Estado Islâmico (EI).

Publicado em Notícias
Terça, 12 Dezembro 2017 14:53

Uma "Belém" para os cristãos iraquianos

A ACN começa campanha de Advento "Retorno às Raízes"

Publicado em Notícias

Cardeal Piacenza, presidente da ACN – Ajuda à Igreja que Sofre internacional, se solidariza com os cristãos da Planície de Nínive que finalmente puderam nesse ano celebrar a Páscoa. Uma carta (abaixo), enviada por ele à todos os bispos da região, foi lida nas missas do Domingo da Ressurreição (16/04/2017)

Publicado em Notícias
Sexta, 18 Novembro 2016 14:50

“Nós mataremos todos vocês”

Várias fotos enviadas pelo Padre Stephan Rasche – contato de projeto da Arquidiocese Católica Caldeia de Erbil, auxiliado pela ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) – documentam a presença de extremistas europeus entre os combatentes do grupo autodenominado Estado Islâmico (EI). As fotografias, tiradas em Batnaya, pequena cidade da Planície de Nínive, a 15km de Mossul, mostram um grafite escrito em alemão. Segundo o Pe. Steven, sacerdote que atuava na região em agosto de 2014, 850 famílias cristãs viviam ali quando a região foi dominada pelos terroristas.

Publicado em Notícias

Os líderes da Igreja no norte do Iraque alertaram que a crise desencadeada pelo referendo a respeito da independência do Curdistão, realizado na segunda 25/09, poderia pôr em perigo a presença cristã na região.

Publicado em Notícias
Segunda, 02 Janeiro 2017 17:29

Iraque: Natal com esperança

Este ano, os refugiados cristãos na parte norte do Iraque estão animados duplamente para celebrar o nascimento de Cristo. Isto porque a grande maioria das vilas das planícies de Nínive, que foram ocupadas pelo grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) desde o verão de 2014, foram liberadas agora. Na época, 120 mil pessoas fugiram da ameaça jihadista que avançava, deixando apressadamente suas casas. "Quando recebemos a notícia de que o EI estava recuando, espontaneamente uma festa estourou nos campos de refugiados. As pessoas saíram às ruas para dançar e cantar, como se não tivessem outros problemas em suas vidas ", disse o padre Luis Montes, vigário episcopal do bispo latino do Curdistão. Ele vive no Iraque desde 2010.

Publicado em Notícias
Quarta, 11 Janeiro 2017 15:17

Testemunho de vidas sob poder do EI

Há dois meses, Ismail fugiu de Mossul, Iraque, com sua mãe Jandark Behnam Mansour Nassi, depois de viver sob o terror do grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) por dois anos. Ismail e Jandark hoje vivem em Erbil, na “Região Autônoma Curda Iraquiana” (Iraqi Kurdish Autonomous Region). Eles nos contaram sua história e voltaram ao tempo que passaram sob o domínio do EI.

Publicado em Notícias
Quinta, 07 Dezembro 2017 14:56

A oficina do Papai Noel no Iraque

A Fundação Pontificia ACN – Ajuda à Igreja que Sofre – está empenhada em garantir que as crianças iraquianas da Planície de Nínive não fiquem sem presentes de Natal este ano.

Publicado em Projetos
Segunda, 19 Fevereiro 2018 11:33

Ajuda imediata aos cristãos no Iraque

Até agora, 35% dos habitantes cristãos do Iraque retornaram às suas aldeias de origem, segundo dados informados pela Fundação Pontifícia ACN após sua última viagem ao local. Entretanto, apenas 18% das casas destes que retornaram à Planície de Nínive foram reconstruídas, disse o padre Andrzej Halemba da ACN, "algumas foram apenas improvisadas".

Publicado em Projetos
Quarta, 18 Janeiro 2017 09:15

Igreja era campo de tiro

"Eu não entendo como as pessoas podem prejudicar tanto umas às outras", lamenta o guarda de segurança Louis Petrus. Hoje, Louis volta para sua cidade natal pela primeira vez: a cidade cristã de Qaraqosh, perto de Mossul, de onde ele teve que fugir em 6 de agosto de 2014, quando o grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) ocupou a cidade. "Olhe para a minha casa: ela está quebrada, a maior parte das coisas foram roubadas e os movéis todos danificados. Outros moradores de Qaraqosh tinham me avisado sobre o que eu iria encontrar na cidade. Eu tinha ouvido histórias e visto fotos da destruição causada pelos jihadistas. Agora que estou aqui, vendo a cidade com meus próprios olhos, não sei o que sentir. Os terroristas do EI destruíram meus bens, mas eu ainda estou em situação melhor considerando os meus vizinhos: muitas casas foram queimadas ou completamente destruídas. Eu fui abençoado".

Publicado em Notícias
Página 1 de 4