Sexta, 10 Novembro 2017 13:40

Kizilorda no Cazaquistão vai ter sua primeira igreja

Escrito por

A cidade de Kizilorda, no sudoeste do Cazaquistão, tem uma população de cerca de 270 mil pessoas. A pequena comunidade católica que vive aqui é composta praticamente por todas as pessoas de origem alemã, polonesa ou lituana. Nos últimos 10 anos, eles tiveram como pastor um padre católico que viaja regularmente da cidade de Shymkent, mais de 500 km de distância.

Terça, 07 Novembro 2017 16:55

Iraque: Irmã Ilham oferece um lugar seguro às crianças

Escrito por

Ela não contaria o quanto é difícil olhar para trás, ainda assim, quando ela o faz, consegue falar com uma calma inspiradora. “Nenhum de nós queria abandonar nosso lar, mas como os ataques não paravam, nós tivemos que salvar nossas vidas e fugir” reflete a Irmã Ilham calmamente. A freira dominicana de 57 anos estava servindo em uma igreja em Mossul quando o rápido avanço das tropas do grupo autodenomidado Estado Islâmico (EI) forçou ela e a comunidade a fugirem, levando apenas aquilo que podiam carregar. Hoje ela serve àqueles que permanecem nos campos de refugiados na cidade cristã de Telleskuf, na Planície de Nínive no norte do Iraque.

Segunda, 06 Novembro 2017 14:48

Um carro para o ministério pastoral em Alepo

Escrito por

A igreja católica latina de Nossa Senhora do Anunciação está situada no coração de um dos distritos de Alepo, que foi a cidade mais devastada durante a recente guerra civil na Síria. A própria igreja foi destruída e repetidamente saqueada.

Quarta, 01 Novembro 2017 12:23

Seminaristas: esperança da Igreja nas Ilhas Salomão

Escrito por

As Ilhas Salomão é um grupo de ilhas situado no Pacífico Sul, cerca de 750 km a leste de Papua Nova Guiné e 2000 km a nordeste da Austrália. Seus habitantes eram ferozes caçadores, mas hoje quase todos são cristãos. A maioria pertence a comunidades protestantes, enquanto cerca de 20% são católicos.

"Se não fizermos nada, o destino dos filhos dos ciganos estará selado", disse o padre salesiano Martin Jilek de Stara Zagora na Bulgária Central, a 230 quilômetros a leste da capital, Sófia. "Eles se casam dentro de seu clã quando completam quatorze anos. Então eles têm filhos logo no início do casamento e vivem do benefício infantil pago pelo governo, que é de cerca de 40 levs por mês e filho (aproximadamente 80 reais). Essa é a única fonte de renda de muitas famílias ciganas".

Página 5 de 75