Quinta, 07 Dezembro 2017 14:56

A oficina do Papai Noel no Iraque

Escrito por
Avalie este item
(2 votos)
Irmã Ni'am, na "oficina do Papai Noel", preparando os pacotes de presentes para as crianças Irmã Ni'am, na "oficina do Papai Noel", preparando os pacotes de presentes para as crianças

A Fundação Pontificia ACN – Ajuda à Igreja que Sofre – está empenhada em garantir que as crianças iraquianas da Planície de Nínive não fiquem sem presentes de Natal este ano.

O armazém é grande, com paredes brancas e cinzas. Dezenas de caixas estão empilhadas no chão. Pode parecer um edifício um pouco sombrio, mas na verdade é um armazém de sonhos. Sob vigas de concreto e entre os paletes de madeira, dezenas de mãos trabalham sem parar e rostos felizes sorriem. Nos últimos dias, O'Neal, Santa, Reben e muitos outros voluntários da paróquia de Erbil, de rito católico caldeu, no Iraque, tornaram-se os pequenos ajudantes do Papai Noel aqui no armazém.

O Natal está chegando, e as crianças iraquianas da Planície de Nínive – assim como as crianças do mundo todo – estão esperando ansiosas por esses dias tão especiais. Para muitos deles este Natal será diferente porque será o primeiro que celebrarão em suas próprias casas depois de muito tempo. Eles tiveram que passar os últimos três anos desabrigados, como refugiados em seu próprio país, após a invasão de suas casas pelas forças do grupo autodenominado Estado Islâmico (EI) em agosto de 2014. Assim como o próprio menino Jesus, que nasceu em um estábulo e não teve lugar para chamar de lar, os filhos das aldeias e cidades cristãs de Nínive passaram os últimos Natais em campos de refugiados ou em outros alojamentos alugados com o apoio da Diocese de Ankawa.

Depois de um grande esforço por parte da diocese e graças ao apoio financeiro de amigos e benfeitores de todo o mundo, mais de 6.330 famílias já conseguiram retornar para as várias cidades e aldeias cristãs dessa área. Elas já começam a reconstruir suas vidas. Entretanto, muitas outras famílias ainda esperam por essa oportunidade.

Oficina do Papai Noel

O Natal é o grande presente de Deus para a humanidade e, por essa razão, é uma mensagem de esperança para todos. A ACN está comprometida em garantir que as crianças iraquianas da Planície de Nínive – não apenas as que puderam retornar para suas casas, mas também as que ainda aguardam o retorno – não fiquem sem presentes de Natal este ano. E como resultado, o armazém em Ankawa foi transformado em uma espécie de "oficina do Papai Noel". Os aproximadamente 20 jovens que ajudam as irmãs, Filhas de Maria, são como que ajudantes que trabalham incansavelmente para trazer alegria e esperança para as crianças. Eles pretendem embrulhar um total de 15 mil presentes de Natal que serão distribuídos aos filhos dos cristãos, de diferentes ritos, em Qaraqosh, Karamless, Bartella e Bashiqua, e também para um grande número de crianças que ainda vivem como refugiadas em Ankawa, que é o bairro cristão de Erbil.

Nas listas de desejos de Natal e cartas ao Papai Noel, essas crianças geralmente dizem que gostariam novamente de ter uma casa segura onde possam viver em paz. Outro desejo é poder continuar a frequentar a escola, e um terceiro desejo é o de ter um lugar onde brincar. Desejos como esses, não são tão fáceis de embrulhar e entregar, como bem sabem esses jovens voluntários. Mas eles não têm dúvidas de que as crianças também ficarão absolutamente encantadas com esses "presentes mais concretos, que carregam em si a presença e o amor de Deus entre nós", como diz a Irmã Ni'am. Ela é a coordenadora do projeto. Os pacotes incluirão "um anorak (Uma espécie de jaqueta, muito resistente ao frio. Algo muito necessário nessa região), chocolates e, para não ignorar o significado profundamente religioso desta festa, colocaremos uma Bíblia ou outro livro espiritual em cada pacote, dependendo da idade da criança".

Os ajudantes aqui na "oficina do Papai Noel" em Ankawa estão profundamente gratos à ACN por ter patrocinado e financiado esta iniciativa de amor e solidariedade. "Será uma celebração alegre e dolorosa ao mesmo tempo: alegre por causa do retorno aos seus locais de nascimento e casas; e doloroso por causa do estado das aldeias: casas e igrejas destruídas, queimadas e saqueadas, ruas abandonadas, serviços quase inexistentes, amigos que deixaram o país", explica a Irmã Ni'am.

Um Natal muito próximo do primeiro Natal em Belém, onde a alegria e o sofrimento se misturaram nas vidas de Maria e José enquanto se preparavam para o nascimento do Deus menino. O custo de cada pacote de presente é de aproximadamente 80 reais. A ACN também está apoiando projetos semelhantes para crianças em Alepo e para as famílias de refugiados sírios na Armênia.

Lido 852 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.